Warning: session_start() [function.session-start]: Cannot send session cookie - headers already sent by (output started at /home/content/22/6219622/html/index.php:3) in /home/content/22/6219622/html/libraries/joomla/session/session.php on line 423

Warning: session_start() [function.session-start]: Cannot send session cache limiter - headers already sent (output started at /home/content/22/6219622/html/index.php:3) in /home/content/22/6219622/html/libraries/joomla/session/session.php on line 423

Warning: Cannot modify header information - headers already sent by (output started at /home/content/22/6219622/html/index.php:3) in /home/content/22/6219622/html/libraries/joomla/session/session.php on line 426
Saúde
Home Saúde
Saúde | TRISTEZA OU DEPRESSÃO?
Thursday, 18 March 2021 00:00


Evolutivamente, nossas emoções surgiram muito antes da linguagem e da autoconsciência. São as emoções que ajudaram a tornar os humanos os animais sociais que somos. Elas nos ajudaram a sobreviver e a nos orientar.

Todas as emoções têm uma função. Ficamos felizes, por exemplo, quando experimentamos proximidade e coisas boas com outras pessoas, o que por sua vez nos aproxima. As pessoas expressam felicidade quando se sentem bem consigo mesmas, recordam de momentos bons, passam tempo com indivíduos amados, fazem o que gostam, quando aprendem a gostar do que fazem e imaginam, sonham, criam possibilidades positivas para o futuro.

Ficamos tristes quando sentimos a dor por não conseguirmos o conforto e o apoio das pessoas ao nosso redor. É normal vivenciarmos situações que desencadeiam tristeza, como a perda de um amor, a morte de um ente querido, as mais diversas frustrações, o desejo não alcançado (por menor que ele seja), decepções consigo e com os outros por ações diferente de nossa expectativa, desempregado, reprovações e outras inúmeras situações.

Todos temos nossas feridas emocionais, que foram surgindo no transcorrer da vida. As feridas podem vir de experiências dolorosas, como perder alguém, ser abusado ou negligenciado. Pode ser devido a conflitos ou relacionamentos nos quais a pessoa se sentiu humilhada ou intimidada em um canto. Elas também podem vir de experiências mais vagas, como quando um filho não se encaixa na cultura familiar em que os outros membros da família se encaixam. Sejam esses sentimentos apropriados ou não, eles surgiram de nossas experiências e relacionamentos na vida.

Diante de um acontecimento triste, faz parte ficarmos desanimados por determinado tempo. A tristeza por si só, não nos impede de seguir com as atividades do dia a dia, mas, muitas vezes, elas se tornam mais pesadas, difíceis. É comum, quando estamos tristes, nos sentirmos desencorajados, sem a mesma energia. Os pensamentos negativos estão presentes na tristeza e é uma reação comum. Enfim, o sentimento de tristeza é a uma reação natural dos seres vivos diante da vida.

Em certos momentos, as emoções ficam tão ruins que não se consegue suportar senti-las. Geralmente as afastamos ou as encobrimos. Mas, infelizmente, evitar sentimentos feridos não significa que eles irão desaparecer. Muita dor mental ocorre justamente quando perdemos o contato com algumas de nossas emoções e necessidades básicas. Esconder seus sentimentos não o torna alguém mais forte e nem o auxilia a superar os problemas.

A tristeza é um sentimento importante, pois ajuda na elaboração das perdas ou sofrimentos ocasionais. Ela faz parte da vida, nos faz evoluir e refletir.

As principais atitudes para trabalhar a tristeza são:

1) Pratique a compreensão, especialmente consigo – Nada é por acaso e, sim, somos seres capazes de superar e de conviver com diferentes dores. Quando você compreende melhor o que acontece ao seu redor, vai entender as dificuldades como novos degraus para a sua evolução.

2) Busque o prazer sensível, simples – Não desmereça as coisas simples da vida que lhe trazem prazer. Os pequenos gestos, as aparentes pequenas atitudes, a simplicidade e a singeleza de um olhar, fazem grande diferença. Como diria Van Gogh, “Não esqueçamos que as pequenas emoções são as grandes capitãs de nossas vidas, e as respeitamos sem perceber.”

3) É muito importante que você consiga se abrir e conversar com os seus verdadeiros amigos nos momentos de dificuldade e tristeza – Compartilhe, não apenas para colocar para fora, mas para elaborar melhor os pensamentos, as ideias. Não ficar na pura reclamação e sim elaborar isso de forma mais objetiva.

4) Pratique com mais afinco os cuidados básicos da vida – Sono, higiene, alimentação correta, atividade física. Assumir a sua vida, não fugir dela. Essa é a sua vida.

5) A contemplação da verdade, diminui a tristeza – A primeira verdade é a verdade da vida, e a realidade é o trono da verdade. A realidade é o lugar no qual a verdade acontece, em que as coisas estão acontecendo. Viver a nossa vida é uma fonte de alegria, se você consegue entrar nela. Se o indivíduo entende que aquela é a sua realidade. Alegria de estar vivo, de ser a gente, de ter essa vida e nenhuma outra. Essa é a nossa vida e por isso que ela é maravilhosa. Isso é o que lhe cabe.

6) Contemple a beleza – Outro ponto que ajuda a tristeza ir embora, pois conecta com a verdade a um nível transcendental, é a beleza, especialmente da natureza, como o raiar do dia, o pôr-do-sol, o céu estrelado, a mata, o mar, as cores, as obras de arte, a música... Isso abre a comunicação com o nosso interior que pede ajuda.


Quase todas as pessoas que apresentam tristeza e se mantém nela têm uma questão existencial de fundo, algo que não está bem resolvido. As questões de fundo existencial são próprias do ofício de ser humano.


Perguntas como “Eu deveria estar fazendo isso aqui ou não?”, “Será que estou sendo leal a esse amigo?”, “Será que estou sendo a pessoa que tenho potencial para ser?”, “Estou sendo justo, honesto com a sociedade, como o próximo ou comigo?” ou “O que eu vim fazer neste mundo?”, dependendo do peso e do somatório que elas vão tendo e da estrutura como elas se apresentem, vão se mostrando para o indivíduo cada vez mais intensamente, e exigem uma resposta em algum momento da vida. Elas podem se apresentar como um movimento, que é o da tristeza que se prolonga, que vai tomando espaço da vida. É um movimento de diminuição da alma, de encolhimento do ser humano. Se não trabalhada, resolvida, tem tudo para caminhar para a depressão, que pode se instalar de forma súbita, abrupta, devido a um acontecimento agudo na vida de uma pessoa, mas na maioria das vezes vai se instalando como descrito anteriormente.

A depressão é uma situação de adoecimento, uma tristeza que não acaba mais, um sentimento ruim que não passa e afeta vários aspectos da vida: saúde, trabalho, relacionamentos, família e vida social. Em casos mais sérios, pessoas com depressão podem até pensar em suicídio. Na depressão ainda pode existir, em alguns casos, uma interação de alguns outros fatores: genética, mudanças neurobiológicas, aspectos da personalidade (baixa autoestima ou pessimismo) e fatores ambientais (como exposição à violência, à negligência ou à pobreza). Os principais sintomas da depressão são:

• Falta de vontade de levantar-se da cama, diminuição do sentimento de esperança e uma sensação de que as atividades atuais perderam o sentido;

• Humor deprimido, que se caracteriza por desânimo persistente, baixa autoestima, sentimentos de inutilidade;

• Perda de interesse em atividades que antes a pessoa apreciava;

• Mudança de apetite, geralmente com perda.

• Ganho ou perda de peso;

• Insônia, especialmente para iniciar o sono;

• Dormir em excesso;

• Perda de energia ou fadiga acentuada;

• Isolamento, distanciamento das pessoas, da vida social e das relações profissionais;

• Sentimento de culpa;

• Irritabilidade;

• Ter explosões de raiva, mesmo por motivos bobos;

• Estar sempre cansado sem razão, com pouca energia ou lento;

• Sentir dificuldade para se concentrar, para tomar decisões; deficiência da memória;

• Ter sentimento de culpa ou de inutilidade;

• Baixo desejo sexual;

• Pensamentos negativos e destrutivos.

• O sentimento de vazio é constante, e pode levar a pessoa a perder o sentido da vida;

• Pode-se pensar, com frequência, na morte, tanto pela desesperança, como pela falta de prazer e brilho na vida, mas também como fuga, de todo um sofrimento que sente nunca ter fim.

Nem precisa ter todos esses sintomas. Na verdade, há um mescla muito grande entre eles, além de suas intensidades.

O tratamento alopático apresenta uma resposta mais rápida, mas o seu efeito é manter os sintomas sobre controle. Tem importância fundamental nos casos mais graves, mas deve ser realizado com extremo cuidado e habilidade por profissionais competentes, pois qualquer descuido pode trazer consequências muito sérias. É comum levar à dependência do medicamento.

Há diversas correntes de atuação da Psicologia e da Psicanálise que ajudam o indivíduo a entender o seu momento presente, a importância de sua jornada de vida (tanto do passado, como do futuro), a se conhecer melhor e, especialmente, aprender a desenvolver as suas ferramentas e virtudes para sair desse estado e a viver bem melhor.

O tratamento homeopático é de enorme valia, tanto na tristeza, como na depressão. A homeopatia entende que os sintomas, quaisquer que sejam, são a expressão para o exterior da desarmonia interna. Assim, cada pessoa será compreendida na sua individualidade, ou seja, é um tratamento de dentro para fora. Como as consultas homeopáticas abordam de forma ampla as características da personalidade da pessoa, analisando a sua vida no todo, tornam-se também sessões de psicoterapia, de reflexões e de encontro consigo mesmo. Além disso, recebem auxílio, apoio e orientações para uma atitude emocional mais solida para a vida.

Nossas emoções sinalizam algo bem maior do que apenas o que estamos vivendo naquele momento. Cuide de suas próprias emoções e nunca as subestime. Sentir as emoções é o que torna a nossa vida rica.

“As emoções são uma fonte crítica de informação para aprender.” (Joseph LeDoux).

“Toda aprendizagem tem uma base emocional.” (Platão)

“Uma visão da natureza humana que ignore o poder das emoções é lamentavelmente míope.” (Daniel Goleman)



Dr. Carlos Hanzani
Médico Homeopata e Psicanalista na Art Of Healing Atlanta-Clinic
www.artofhealinginc.com
Phone: (404) 355-1662

Last Updated on Friday, 19 March 2021 14:27
 
« StartPrev12345678910NextEnd »

Page 6 of 13

Translate

Portuguese English Spanish